Volkswagen SP1 | SP2 – o esportivo brasileiro valorizado nos últimos anos

30 de janeiro de 2018
Leandro

Fala, Rust’ers!

Se vocês gostam de ferrugem, cheiro de óleo e carangos antigos, então continuem por aqui. Leiam este texto até o fim.

Já falamos dele aqui no blog do Rusty Barn, mas é um carro antigo que vale a pena falarmos de novo. É o Volkswagen SP1 e o SP2.

O veículo, que é elogiado no mundo inteiro por seu design, está entre os carros antigos que mais se valorizaram nos últimos anos.

Os alemães têm até uma unidade em seu aclamado museu de carros da Volkswagen, em Wolfsburg.

No ano de 2016, um estudo feito pela FGV EAESP – Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, mostrou que o SP2 é o 9º veículo antigo mais valorizado dos últimos anos.

Isso mostra a relevância da séria SP, para os brasileiros e para a Volkswagen.

Os 3 primeiros carros mais valorizados, são:

  1. Volkswagen Kombi “corujinha”.
  2. Dodge Charger.
  3. Dodge Dart.

Características do Volkswagen SP1 | SP2

O carro foi desenvolvido pela Volkswagen do Brasil, entre os anos de 1972 a 1976. Sua sigla ainda é quase um mistério, mas acredita-se que “SP” é um acrônimo de São Paulo. Outros acreditam que seja de “Sport”, por ser um veículo esporte.

Há ainda quem diga que a sigla é referência ao termo “Projeto Especial” ou “Protótipo Esportivo”.

A série SP surgiu no mercado brasileiro, quando estávamos fechados para a importação. Foi uma época na qual surgiram muitos modelos diferentes, como o Uirapuru GT4200, conhecido como o esportivo brasileiro realmente potente.

O SP é um esportivo leve, construído sobre a plataforma do Variant 1600.

Apesar do termo “esportivo”, a série SP ganhou notoriedade apenas por seu design, pois seu motor não era algo que encantava os amantes da velocidade.

Foi produzido por um curto período, mas, ainda assim, o modelo é admirado por muitos. Pena que na mesma época seu concorrente era o Puma GT, e foi para ele que o SP perdeu mercado.

Por ser um dos carros antigos mais valorizados do Brasil, ele vale a pena ser lembrado sempre. A ideia de preservar uma história de um carro antigo, já é a prática do antigomobilismo.

 

Siga o Rusty Barn nas redes sociais e compartilhe este texto nas suas.